Websérie ‘Vindo’ chega ao final da segunda temporada com reflexões sobre a arte virtual

Nesta quinta-feira, 8 de junho, entra no ar o 20º e último episódio da websérie documental “VINDO – O Que Será Que Está”, criação dos multiartistas Jef Telles e Tiago Mariusso com a participação de fazedores de cultura de São José do Rio Preto/SP, que refletem sobre a vida cotidiana e social a partir da própria produção artística durante o isolamento provocado pela pandemia do novo coronavírus, cujo fim foi decretado em maio.

A exibição é gratuita, pelo canal Café Insônia (youtube.com/@cafe_insonia), com tradução em Libras. A websérie teve início em 4 de abril, com dois novos episódios a cada semana. Todos aqueles já lançados permanecem disponíveis no canal, sendo possível assistir à produção completa.

Cada parte da websérie tem duração média de 15 minutos e, na íntegra, a obra traz depoimentos de um total de 54 convidadas e convidados captados em maio de 2022. São profissionais do teatro, dança, artes visuais, audiovisual, música, literatura, hip hop, educação e outros segmentos, em conversas conduzidas pelo ator e diretor teatral Alexandre Manchini, a produtora e pesquisadora Carolina Capelli, o artista visual juny kp!, o crítico teatral Rodolfo Kfouri, a jornalista Vivian Lima e o próprio Telles.

Nesta parte final do trabalho as discussões envolvem o tema “Ser virtual”, abarcando questões sobre o impacto da presença do meio digital no cotidiano e na arte. Nos capítulos anteriores, a websérie tratou de assuntos como fé, ser artista, formações, processo criativo, segundo ofício, audiovisual na pandemia e outros. Também foram lançados dois episódios dedicados exclusivamente ao pensamento dos pintores Orlando Fuzinelli e Profeta das Cores. O penúltimo episódio, estreado na terça, 6, teve como tema “Linguagens”.

Para Telles, que divide a coordenação e curadoria com Mariusso, a websérie se fez necessária após a fase de confinamento social diante da devastação sem precedentes provocada pelo período pandêmico. “Num momento em que ainda nos reerguíamos, a necessidade da reflexão sob o olhar sensível da arte se instaurou.”

Serviram de locação a Represa Municipal, considerada principal cartão-postal de São José do Rio Preto; a Praça da Igreja São Benedito, na Vila Ercília, zona oeste, com seu aspecto bucólico e representativo do interior; e a Praça do Jardim Vivendas, região sul, área bastante arborizada que contrasta com a paisagem predominante na cidade. Esses espaços foram transformados em instalações urbanas, recebendo performances dos atores Ailton Rodrigo, Cassio Henrique e Ícaro Negroni durante as gravações.

As gravações aconteceram em três encontros, com 27 entrevistas individuais e nove mesas com três pessoas convidadas cada, as quais somaram aproximadamente 105 horas de material bruto. A equipe técnica, composta por cerca de 20 profissionais, montou três sets para filmagens simultâneas, que na websérie se traduzem em diferentes recortes na composição cenográfica.

Também compõem os episódios imagens de trabalhos recentes das pessoas participantes, a fim de afirmar, contradizer e criar novas camadas de leituras. “Acredito ser um material relevante, sobretudo no futuro, no qual temos um grande panorama da arte em São José do Rio Preto nesse período triste da nossa história”, fala Telles. Ele acredita que, embora o universo digital tenha aberto caminhos e dado sobrevida a artistas durante a pandemia trouxe uma série de limites criativos e a escassez do afeto.

Já Mariusso reflete que o projeto usa o pretexto da arte para falar da vida e acrescenta que, apesar da cidade ser conhecida nacionalmente por abrigar um dos maiores festivais de teatro do país, o FIT Rio Preto (Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto), não é possível afirmar que seja um grande polo cultural. “Mesmo com mais de meio milhão de habitantes, o investimento em cultura é estritamente pequeno diante da quantidade de produtores do setor. Além disso, o município carece de centros culturais, escolas e atividades de formação artística.”

Também é possível acompanhar o Instagram @cafe_insonia, que é o perfil oficial de divulgação do projeto e é abastecido com conteúdo audiovisual inédito.

Histórico

O projeto é um desdobramento de um trabalho do Agrupamento Núcleo 2, sediado em São José do Rio Preto, do qual Telles é diretor. No final de 2017, o coletivo realizou um projeto independente chamado “Prólogo a Teatrópolis” a fim de entrevistar a maior quantidade possível de profissionais do setor cultural local. Sob a necessidade de discutir o futuro, a ação resultou na websérie “INDO – O que Fizemos Que Estamos”, envolvendo cerca de 60 artistas, também disponível no canal Café Insônia, em nova versão com acessibilidade em Libras.

“VINDO – O Que Será Que Está” propõe a continuação desse processo reflexivo, desta vez lançando um olhar para a arte e o humano, o social e o cotidiano, impulsionado pelo passado recente.

O projeto é viabilizado pelo ProAC Direto de 2021, edital 38, modalidade Audiovisual, do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa. 

Sinopse:

Durante a pandemia, nos recolhemos em si e observamos confinados a uma grande devastação humana, física e psicológica sem precedentes em nossa história recente. Enquanto ainda nos reerguemos, sentimos a necessidade da reflexão, pelos olhos sensíveis da arte. Estamos em um túnel, e dentro dele, dúvidas, divagações e construções. Lançamos nesse momento luz ao artista rio-pretense, para compreendermos um pouco mais o seu universo e juntos, tentar descobrir, o que será que está vindo, por aí.

Ficha técnica:

Coordenação e curadoria: Jef Telles e Tiago Mariusso | Entrevistadores: Alexandre Manchini, Carolina Capelli, Jef Telles, juny kp!, Rodolfo Kfouri e Vivian Lima | Atores convidados: Ailton Rodrigo, Cassio Henrique e Ícaro Negroni | Cenografia: Fernando Lui, Leonardo Bauab e Tiago Mariusso | Direção de fotografia e captação: Fernando Macaco, Guilherme Di Curzio, Zé Tomaz e Marcelo Nogueira | Técnico de iluminação: Ramses Contessotto | Fotografia: Milena Áurea e Vitão Natureza | Trilha sonora: Sávio D’Agostino | Assessoria de imprensa: Graziela Delalibera | Social media: Ana Paula de Freitas | Produção: Tiago Mariusso | Assistente de produção: Daniela Honório | Segunda assistente de produção: Suria Amanda | Intérprete em Libras: Isaac Khaki | Identidade visual e edição: Jef Telles | Entrevistados/as: Amanda Oliveira, Alexandre Estevanato, Ana Paula A Liga, Anna Claudia Magalhães, Araguaí Garcia, Carol Cof, Carolina Manzato, Christina Martins, Daniela Portela, Daniele Butkousky, David Balt, Diego Neves, Drica Sanches, Edson Ramos, Eduardo Catanozi, Elissa Pompônio, Fabiana Abranches, Fabiana Pezzotti, Fabiano Amigucci, Fernanda Missiaggia, Gabi Livon, Gaia do Brasil, Gisele Lançoni, Gustavo Arão, Izabel Suzuko, Juliana Carolina, Jessica Paladino, Kiko Andrade, Lelé Arantes, Lila Santiago, Linaldo Telles, Manoel Neves, Marcio Jacovani, Marcus de Marchi, Mariana Reis, Marlon Morelli, Mona Luizon, Nei Cândido, Orlando Fuzinelli, Priscila Topdjian, Profeta das Cores, Raul Marques, Reinaldo Volpato, Roberto Brito, Renato Gagliardi, Stan Bellini, Taroba, Tauane Alamino, Vinicius Moreno, Wagner Orniz, Walter Máximo, Wander Ferreira Jr., Zeca Barreto e Zilda Arali.

Serviço:

Websérie VINDO – O Que Será Que Está (em 20 episódios – média de 15 minutos cada)

Onde: no YouTube Café Insônia | youtube.com/@cafe_insonia (último episódio na quinta, 8/6)

Gratuito. Livre. Tradução em Libras.

Mais informações: @cafe_insonia no Instagram

Compartilhar Notícia

Notícias relevantes