Transformação Lean nos Hospitais: ‘Sírio-Libanês’ faz segunda visita ao HPA

Equipes de gerências e assistências de enfermagem do Hospital Padre Albino/HPA receberam a visita dos consultores do Hospital Sírio-Libanês, dando continuidade à implantação do ‘Projeto Transformação Lean nos Hospitais’, realizado pelo Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI-SUS), em parceria com Ministério da Saúde, que tem por objetivo otimizar os processos e eliminar desperdícios dentro dos hospitais do Brasil. 

Os consultores Dr. Paulo Roberto Cavallaro Azevedo e o especialista Denis Francis Dias estiveram nos dias 2 e 3 de agosto no HPA para apresentação da ferramenta Makigami, com aplicação prática do método nos setores de Enfermaria e Centro Cirúrgico, escolhidos para a transformação Lean. “Na área da saúde, o Lean caminha junto com o propósito de tornar o atendimento mais humano e eficiente. Eliminando desperdícios, minimizamos o sofrimento das pessoas e salvamos vidas. Para isso levamos aos hospitais participantes, além de Governança Clínica, ferramentas impactantes para melhoria contínua nos processos, como o Makigami”, explicou Dr. Paulo.

Durante a visita, os colaboradores receberam orientações de como aplicar a ferramenta nos processos de rotinas dos setores. Para isso, a parte prática aconteceu no processo de alta hospitalar dos pacientes nas enfermarias e no agendamento cirúrgico. Adriani Moraes, gerente do Núcleo da Qualidade dos hospitais da Fundação Padre Albino, diz que os resultados vão além de quantitativos. “O mapeamento Makigami visualiza o processo nas áreas de serviços com um todo, ou seja, onde o ‘produto’ não é tangível (tocável ou visível). Assim nos permite identificar os desperdícios, afim de reduzi-los e promover melhorias que agregam pacientes e colaboradores”, disse.

Segundo o site makigami.info, Makigami é um termo japonês que significa “função do papel” (mapeamentos escritos em papéis). No domínio da filosofia lean thinking é usada para mapear e descrever processos administrativos em rolos de papel e está organizada em cinco áreas: atividades executadas; documentos e instruções usados na comunicação; fluxo de informação; análise de tempo; e problemas e oportunidades identificados.

“Nossos hospitais vêm buscando melhorar suas operações de forma a se manterem competitivos, onde as exigências por padrões mais elevados de qualidade têm nos motivado a conquistar certificados de qualidade de renome nacional, como o Lean”, ressalta a gerente Adriani Moraes.

Compartilhar Notícia

Notícias relevantes