Regina Duarte faz sua segunda exposição individual a convite de Roberto Camasmie

A vernissage acontece dia 4 de abril e a exposição estará aberta para visitação de 05 a 30 de abril. De Segunda a Sexta das 10:00h às 18:00h e aos sábados das 10:30h às 14:00h. A galeria está
localizada na esquina da rua Bela Cintra com a alameda Lorena, nos Jardins, em São Paulo.

Quadro em Collab de Regina Duarte e Roberto Camasmie Foto: Caio Kitade, 2024

A atriz Regina Duarte gestava a sementinha de artista plástica há tempos. “Meu primeiro óleo aconteceu logo depois que a Gabriela [a filha Gabriela Duarte, atriz] nasceu. Passei a quarentena pós-parto num sítio e entre uma mamada e outra reproduzi uma foto da família reunida para o almoço da Páscoa. A partir de então, sempre que tive uma folga entre um trabalho e outro na TV / no teatro… eu voltei às telas e as tintas.”

A faceta aflorou recentemente e a artista tem participado desde outubro do ano passado de quatro mostras coletivas – com uma média de 4 a 6 obras expostas. O convite de Roberto Camasmie para a segunda individual está marcada para o dia 4 e abril de 2024, quinta-feira, a partir das 17 horas, na rua Bela Cintra, 1992.

O fascínio pelas folhas, flores, sementes e cascas de árvores teve início em fevereiro de 2023, em suas férias no RJ. Permanece latente no trabalho de Regina, que agora tem se sentido atraída por retratar figuras humanas por meio da botânica. “Acho que a atriz em mim anda me estimulando em reproduzir ‘pessoas e personagens’.”

Sobre a quantidade de obras, ela tem realizado menos com mais detalhes. “A profusão de intenções nas folhas e com as folhas faz com que cada obra leve o quíntuplo do tempo para se dar como acabada. O processo de evolução em transformar folha em gente é fascinante.” A respeito da apresentação dos trabalhos, Regina conta: “Algumas vezes tenho substituído o papelão por telas e isso pede molduras diferentes das que tenho usado até aqui”.

O convite para esta sua segunda mostra individual partiu de Roberto Camasmie. “Quando o Camasmie veio até o meu estúdio para formalizar o convite de expor em sua galeria viu um rosto que eu tinha por ali. Era uma senhorinha com cabelos brancos feitos com barbante numa folha de Amendoeira-da-praia que eu tinha encontrado no chão já com dois buracos que sugeriam dois olhos, um mais alto que o outro. O título da obra veio fácil: ‘A Vovó do Picasso’. O Camasmie se ligou naquela figura e logo sugeriu que eu deveria fazer mais coisas assim. Em seguida me convidou para uma colab em seu estúdio. A partir de uma foto minha, ele tinha feito um desenho e finalizamos juntos a obra com cabelos de folhas e flores. Amei o resultado e a experiência me estimulou a prosseguir na linha dos ‘personagens’.”


Sobre Regina Duarte

Regina Duarte e suas obras Foto: Caio Kitade, 2024

Atriz, produtora e diretora de teatro, a brasileira Regina Duarte é conhecida por sua longa e bem-sucedida carreira na TV e no Cinema. Com um perfil artístico e cultural extremamente versátil, atualmente vem se dedicando às Artes Plásticas/Botânicas. Ela celebra seu atual ciclo da vida com folhas, frutos, flores, sementes e cascas do caule das árvores.

Com técnicas de colagem, estes materiais ganham uma nova vida, um novo sentido e é assim que Regina se redescobre na identidade com a Natureza Botânica. Dar visibilidade e maior permanência ao nascer, crescer, envelhecer, tornar-se pó e adubo para novas gerações das árvores têm sido o foco de seu interesse maior.

Texto pessoal Regina
Tudo começa como semente e tem grandes chances de frutificar. Desde muito nova, andei coletando folhas para secarem em livros. No meu tempo era moda. Em 1974, no processo de amamentar minha filha, pintei meu primeiro quadro à óleo. Era uma cópia ampliada de uma foto da família num domingo de Páscoa. Em janeiro de 2023, o impulso de observar e colecionar folhas caídas no chão voltou e desta vez como paixão. Em minha casa brincam comigo quando me veem fazendo as colagens: “Deixa, ela está manifestada”. Desde então, não tenho conseguido mais caminhar em ruas e parques sem olhar para as folhas das árvores pensando: “Que linda. Será que esta eu já tenho?”.

Tenho diminuído, radicalmente o contato com o celular e a minha casa virou um pandemônio de caixas de papelão, folhas, flores, galhos, caroços ressecados, sementes de mexericas, mamão, melão e tudo mais que tem a ver com a vida das árvores. Comecei a contar com a ajuda de amigos, vizinhos e familiares que não resistem e trazem sempre uma “folhinha nova” pra mim. “Antes eu via as folhas, mas não as observava da mesma forma que agora”.

O passo seguinte foi feito de pesquisas sobre limpeza, desidratação e colagem do material em todo tipo de suporte reciclável: papelão das caixas de ovos, de pizza, de sapatos, e por aí vai. A cola de madeira foi eleita na concepção de que folhas, frutos e flores provém das árvores e são, portanto, de alguma forma, tecido e madeira.

Em cada obra, eu tinha sempre em mente meus fãs e seguidores do Instagram @reginaduarte. Hoje vejo que fui levada à arte da colagem como tentativa de continuar me expressando para o público que vem acompanhando meu trabalho de atriz.

Tenho muito carinho e gratidão por todos. “Novas Faces da Natureza” dá continuidade ao meu processo de descobertas.

Nascemos de uma semente, nos tornamos bebês, crianças, adolescemos, amadurecemos, envelhecemos e enrugamos. O mesmo acontece com as folhas que inevitavelmente, pouco a pouco, vão mudando suas cores, perdendo o vigor, ficando mais ressecadas e terminam por se desprender da árvore-mãe. As folhas finalizam suas vidas no chão da Terra tornando se pó e adubo para geração de novas vidas.
O processo desta nova mostra propõe a reflexão de que somos todos natureza, sustentação das árvores, nossas irmãs.

A galeria de Roberto Camasmie

Regina e Roberto Camasmie Foto: Caio Kitade, 2024

O artista plástico Roberto Camasmie é reconhecido pelos retratos que tem feito ao longo de seus 50 anos de carreira, tanto de famosos quanto de anônimos. Camasmie iniciou profissionalmente sua carreira pintando retratos em preto e branco de personalidades do circuito social de São Paulo e Rio de Janeiro.
Em sua trajetória, já pintou desde atrizes como Sophia Loren e Catherine Deneuve até a princesa Diana e várias personalidades brasileiras. Com seu estilo realista, segue retratando celebridades de diversos setores da sociedade.

Uma janela de vidro de grandes proporções é a vitrine da bem localizada e charmosa galeria Roberto Camasmie na esquina da rua Bela Cintra com a alameda Lorena, nos Jardins, em São Paulo. É ponto de referência no universo das artes.

Texto Pessoal Roberto Camasmie: Nasce uma nova galeria em São Paulo

Roberto Camasmie é um artista consagrado no Brasil e no exterior. Após décadas de dedicação exclusiva à sua criação e produção artística, Camasmie resolve agora somar à sua vida profissional uma nova atividade, a de galerista.

O objetivo é poder contribuir mais com o cenário das artes, com o mercado e com a visibilidade das obras de seus colegas.

Seu ateliê em São Paulo, palco de tantos projetos vitoriosos e cenário para seu espírito vanguardista, tornou-se célebre na cidade e agora se transforma na “Roberto Camasmie Art Gallery”,
dedicada tanto a arte clássica e contemporânea, tanto na fotografia, artes plásticas, artes gráficas e literatura como futuras instalações e experimentos de novos artistas.

O endereço continua o mesmo: a também célebre esquina da Rua Bela Cintra com a Alameda Lorena, onde tantas vezes os admiradores do mundo das artes assistiram Camasmie criar na vitrine, em performances que marcaram o Bairro dos Jardins.

Com sua larga vivência, talento e sensibilidade de artista, Camasmie promete oferecer ao público visitante, obras de grandes artistas nacionais e internacionais para que o roteiro das Artes
Visuais da capital possa ser enriquecido com as constantes atividades da Galeria Roberto Camasmie.

Contato
Raquel Duarte
Whatsapp:11 97030-1314
E-mail: artesplasticasduarte@artesplasticas.net.br

Compartilhar Notícia

Notícias relevantes