Redução de custos no subestoque, desperdício de lençóis e medicação desnecessária são projetos exitosos premiados em Workshop da Fundação Padre Albino

A Fundação Padre Albino realizou o 1º Workshop de Formação de Belts nesta sexta-feira, 1º de abril, no Anfiteatro Padre Albino. Entre os 10 trabalhos apresentados foram premiadas as experiências exitosas na redução de custos nos subestoques dos setores hospitalares; a redução de desperdício de lençóis e redução de medicação desnecessária em idosos institucionalizados. A votação foi feita pelo público presente e comissão julgadora.

O primeiro colocado foi o projeto de “Redução de custos no subestoque dos setores de internação”, que apontou a readequação de recursos, a orientação sobre o Centro de Custo, a autodisciplina para o 5S e o controle de acesso e retirada dos materiais como solução para evitar a falta de materiais muito utilizados, a sobra dos poucos utilizados, a solicitação inadequada e custos desnecessários, apresentado pela coordenadora de Enfermagem dos setores SUS Adriani Izabel de Souza Moraes, egressa da UNIFIPA, que recebeu troféu, certificado Yellow Belt e premiação no valor de R$ 1.000.

O segundo colocado foi o projeto de “Redução de desperdício de lençóis”, que apontou economia de até R$ 52 mil por ano com a redução do uso de 71 lençóis diários, protagonizado pela supervisora de hotelaria do HPA, Miriane Marins Macedo, que recebeu troféu, certificado Yellow Belt e premiação no valor de R$ 500.

Na terceira colocação, o projeto de “Redução de medicação desnecessária nos idosos institucionalizados”, que apontou 55% de redução nos custos, aumento na qualidade de vida e diminuição de queixas de dores estomacais, através da reavaliação das prescrições médicas, que apontou duplicidade das medicações, apresentado pela gerente administrativa do Recanto Monsenhor Albino, Silvia Moreno, que recebeu troféu, certificado Yellow Belt e premiação de R$ 300.

Além dos três primeiros premiados, outros sete trabalhos foram selecionados formando os Top 10: “Redução do Turnover dos colaboradores do HPA”, com o propósito de criar programas de retenção, qualificação e reconhecimento dos colaboradores, apresentado pela gerente de Recursos Humanos da FPA, Tatiane Kratuti Devitto; “A Redução do Índice de Intervalo de Substituição de Leitos”, com o objetivo de otimizar o giro de leitos do Hospital Emílio Carlos, apresentado pela colaboradora do Núcleo de Qualidade, Elisa Bueno de Lima; “Elaboração de Critérios para Cirurgias Emergenciais”, para melhoria no fluxo do Centro Cirúrgico, apresentado pelo médico Victor Milani; “Apoio e Tomada de Decisões da Política de Presença Familiar”, que coloca o acompanhante como parceiro de cuidados e que pontuou a comunicação como 90% das queixas registradas, apresentado pela coordenadora de Atendimento ao Cliente e Humanização, Maristela Paiva; “Redução do Excesso de Solicitação de Exames Laboratoriais”, que apontou a redução de custos com materiais utilizados para a realização dos exames e aumento da segurança do paciente que é exposto a menos procedimentos, apresentado pelo coordenador médico do Hospital Emílio Carlos, Dr. Rogério Lima Duarte; “Implementação de Triagem Nutricional”, que pontuou que 65% dos pacientes do HEC dão entrada na internação com quadro de desnutrição e a importância de caracterizar os riscos nutricionais do paciente para diminuir o risco de mortalidade, tempo de internação e reinternação, apresentado pelas nutricionistas Karina Brito Soares Marostegone e Roberta Verdiano Guerzoni; “Racionalização de Materiais Administrativos” que trouxe o controle do consumo médio como solução para gastos desnecessários, além da padronização, divulgação, redução de consumo, envolvimento das chefias no processo como medidas para redução de custos e reaproveitamento do espaço de armazenagem. Na apresentação, o consumo médio mensal de papel da Fundação Padre Albino é o equivalente a 37 árvores. O projeto foi apresentado pelo gerente de Logística, Eliezer Clemente Valle.

Para finalizar, o diretor médico dos hospitais da Fundação Padre Albino, Dr. Luís Fernando Colla, apresentou o Green Belt “Redução da variabilidade do tempo médio de permanência hospitalar”, que tem sido aplicado com sucesso, reduzindo consideravelmente a taxa de permanência e, por consequência, a diminuição de pacientes aguardando no pronto socorro do Hospital Padre Albino.

A cerimônia foi concluída com a entrega de premiação e troféus para os Top10 e o lançamento de um novo desafio: apenas 2% das instituições que aplicam os projetos conseguem mantê-los. “Nosso desafio não é manter; é escalar”, disse a diretora de Saúde e Assistência Social da Fundação Padre Albino, Renata Rocha Bugatti.

O evento contou com a participação do presidente do Conselho de Administração da FPA, Dr. José Carlos Rodrigues Amarante, do presidente da Diretoria Executiva, Reginaldo Donizeti Lopes, da diretora de Saúde e Assistência Social, Renata Rocha Bugatti, da diretora de Educação, Cristiane Valéria Procópio de Oliveira, do diretor administrativo e financeiro, Heliton Wagner Benetelli, do administrador do Complexo Santa Casa de Votuporanga, Angelo Jabur Bimbato; do coordenador de pós-graduação da Unioeste, Rodrigo Susuki, do consultor sênior de excelência operacional, Adriano Fernandes, e do CEO e instrutor master black belt da Master Lean Academy, Daniel Meireles.

O workshop foi realizado pelo Escritório de Melhorias de Processos, que integra o Núcleo da Qualidade dos hospitais da Fundação Padre Albino, que tem como objetivo alinhar o ambiente operacional com a direção estratégica, visando crescimento sistêmico e a identificação de oportunidades de melhorias, criando cultura orientada para melhoria contínua de processos, com uso de ferramentas Lean Six Sigma e da Qualidade.

Fotos: Comunicação Fundação Padre Albino

Compartilhar Notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Notícias relevantes