Protagonistas: como o delivery de alimentos se tornou a solução para os restaurantes continuarem ativos em meio à crise

A correria do dia a dia cada vez mais intensa vem fazendo com que o consumidor tenha novos hábitos. O tempo está cada vez mais curto, e precisamos nos dividir entre diversas tarefas, o que nos leva a buscar opções mais práticas para otimizar nossos horários. Nesse contexto no qual as pessoas buscam por praticidade, comodidade, qualidade e claro, tudo isso aliado a tecnologia, afinal, estamos cada vez mais digitais, todos os mercados, com destaque para o segmento alimentícios, viram o serviço de delivery dar um salto e crescer muito nos últimos anos.

O que antes estava limitado a entrega de pizzas no final de semana, hoje, faz parte da vida de grande parte dos brasileiros, com diferentes opções de pratos, valores, horários, ao alcance das mãos em um aplicativo de entregas. A comodidade do delivery chegou para ficar e beneficiar os restaurantes, ampliando o alcance desses estabelecimentos, aumentando a visibilidade e o número de pedidos desses comércios, já que com os aplicativos de entrega o restaurante consegue chegar em mais pessoas.

Estamos vivendo a maior pandemia do último século, que levou o mundo a interromper todo tipo de atendimento presencial por meses buscando frear a transmissão em massa do coronavírus. Isso levou os empreendedores de todas as áreas buscarem opções que pudessem se adaptar ao momento e se reinventar.

O setor de delivery foi um dos únicos a não ser afetado negativamente nesse período, muito pelo contrário, com os restaurantes de portas fechadas, as entregas se tornaram a única maneira dos estabelecimentos conseguirem seguir ativos e com isso continuar movimentando de alguma forma a economia. Temos casos no mercado de empresas do setor alimentício que cresceram durante a pandemia, justamente por conta do delivery, o número de pedidos aumentou, a concorrência de quem tinha um espaço físico diminuiu fazendo com que em alguns casos o crescimento da empresa chegasse a 50%.

Hoje temos no mercado restaurantes e grandes redes de franquias que só trabalham com o delivery. Atualmente já podemos encontrar no mercado cases de empresas em que o serviço de entregas representa cerca de 95% dos pedidos. Uma tendência de mercado, com um modelo de negócio mais enxuto, no qual o franqueado tem a cozinha e os entregadores. O empresário consegue reduzir os custos do espaço onde receberia o cliente, reduzir custos com mão de obra e investir em ingredientes de qualidade e diferentes opções de embalagens para oferecer um serviço de entrega de muito mais qualidade.

A principal recomendação durante o período de isolamento foi que as pessoas evitassem aglomerações e lugares fechados, causando assim um certo receio por parte dos clientes. Hoje, mesmo com a flexibilização da quarentena, as pessoas continuam inseguras, e, por mais que os bares e restaurantes possam funcionar com todas as recomendações, ainda é difícil afirmar que o movimento possa voltar a ser como antes.

Outro ponto a se considerar é que grande parte das empresas aderiu ao home office até que uma vacina seja liberada. Alguns escritórios, inclusive, consideram manter o trabalho em casa mesmo após o fim da pandemia. Em uma pesquisa de setembro encomendada pela empresa VR Benefícios, aumentou de 10% para 17% o número de pessoas que afirmam que ao voltar ao ambiente profissional devem trocar a ida ao restaurante no almoço por pedidos de delivery no próprio escritório.

Com a segunda onda ou a imprevisibilidade de novas pandemias futuras, trabalhar com delivery é a principal opção para o setor de restaurantes. Em todas as fases de isolamento no país, não houve nenhuma que chegasse a impor um limite para o funcionamento do sistema de entregas. O modelo de negócio que antes era uma opção, agora se tornou fundamental para os profissionais da área.

O delivery oferece ao cliente a experiência de comer algo diferente e elaborado sem ter que parar o que está fazendo para ir preparar sua comida, ou limpar a bagunça da cozinha depois do almoço, podendo comer diretamente na embalagem, como nos tradicionais box e caixinhas de comida. Oferecem também a facilidade de ter um prato delicioso da sua comida preferida a alguns cliques de distância, ou a uma ligação, para os mais tradicionais.

Graças a situação de adaptação dos restaurantes pela pandemia, a oferta desses serviços inflou, evidenciando cada vez mais a importância na qualidade do produto e, principalmente, do atendimento. Algumas empresas optaram por estabelecer um sistema de entregas próprio, outras em se cadastrar nos diversos aplicativos de comida existentes, mas, em ambos, a relação entre empresa e clientes deve ser trabalhada com extremo cuidado para fidelizar seus clientes. A variedade nas opções também deve ser levada em consideração, opções vegetarianas e fitness são cada vez mais procuradas e a oferta desse tipo de produto deve acompanhar a demanda.

A tendência é que os números do setor de delivery continuem em constante crescimento nos próximos anos, principalmente devido a toda comodidade e segurança que os aplicativos oferecem.

Por Dhionatan PAULINO – CEO Mineiro Delivery

Compartilhar Notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Notícias relevantes