Prefeitura de Catanduva – Pensando Alto

Ontem quando passei de carro ao lado da prefeitura de Catanduva, subindo a rua Maranhão, fiquei me perguntando qual o critério que o departamento que cuida da jardinagem da cidade usa para desempenhar suas atividades. Bem na “fuça do prefeito” o jardim lateral do Paço Municipal está em plena terra. Antes com plantas vistosas, hoje não tem uma mudinha para ser regada…. terra mesmo.

Depois que a praça da Matriz ficou pronta certo dia passei na esquina da Brasil com Minas e vi que vários funcionários removiam mudas que lá estavam plantadas (necessárias para aquela área como no projeto do paisagista responsável que custou uma fortuna para os cofres públicos) deixando o canteiro feio e nunca mais teve reposição das mesmas. Reparem que hoje esses canteiros estão bem feios (aliás como aquela escuridão … com todas as luzes dos bancos queimadas).  Em gênero, numero e grau em todos os outros canteiros da mesma praça e da 9 de Julho.

Falando na Praça 9 de Julho, a praça onde fica meu apartamento, desde quando aquela arvore foi cortada em frente a fonte d’água nunca mais plantaram nadinha  naquele espaço. O que tem hoje (avariado por sinal) foi o que cresceu ali da folhagem que existia antes de uma forma bastante irregular e anti-estética . Na mesma Praça 9 de Julho tem muita depressão no piso (afundou mesmo em vários locais). Acho que estão esperando uma dessas centenas de pessoas idosas que passam por ali, levar um tombo, quebrar um fêmur e acionar a prefeitura pelo descaso em arrumar a pavimentação da segunda praça mais importante de Catanduva. Estamos falando em região central da cidade. Onde muitos passam o tempo todo e “seria o cartão postal da cidade  Feitiço”.

Li no site da prefeitura que funcionários do Viveiro de Mudas participam de capacitação e que a  equipe do Viveiro de Mudas, que lida direta e indiretamente com arborização urbana, participou de curso de capacitação e treinamento sobre a “escolha e preparo de sementes para germinação, semeadura, repicagem e desbaste, preparo das embalagens e tratos culturais”. Tá… e quando isso vai para os locais certos ? Está faltando o que?

Vez que outra até me aventuro a opinar com pessoas ligadas a administração sobre o que vejo precisando de HELP (mando email e mensagem Inbox no Facebook) …. sei que é difícil administrar uma cidade e seria de bom tom ouvir de vez em quando as opiniões que chegam no intuito de ajudar. Mas às vezes nem recebemos resposta das nossas opiniões (não estamos em época de campanha eleitoral mesmo…rsrsrsr) . Mas isso me deixa com a pulga atrás da orelha sobre o sistema de administrar.

Outro fato que me incomoda é passar pela porta da Secretaria de Educação na Rua Amazona e me questionar também porque o setor que cuida da manutenção não repõe o verniz marítimo (necessário para barrar um pouco o efeito do sol) naquela linda porta da entrada que toma sol desde o dia da reforma e até hoje nunca mais viu uma mãozinha de tinta. Notem quando passar por lá, como está esbranquiçada de tanto sol que bate nela. Deixam estragar tudo para depois gastar uma fortuna para reformar ou demolir.

Realmente não entendo o critério para administrar e não estamos aqui falando de crise… é como em nossas casas se arrumarmos na hora que estraga, é possível manter sem gastar muito. Pelo sim…. ou pelo não…. estou pensando alto.

Gisele Faganello Lahoz (Jornalista – MTB 76727 / SP)