Pacientes destacam a importância da qualidade assistencial durante tratamento

“Vivendo Bem com a Doença Renal” – este é o tema em 2021 da campanha para o Dia Mundial do Rim, celebrado pela Sociedade Brasileira de Nefrologia em 11 de março. A campanha tem por objetivo orientar e conscientizar o paciente com doença renal crônica (DRC) quanto aos próprios sintomas de maneira que possa participar de forma mais efetiva da vida em sociedade.

Nos últimos dois anos, a unidade de Terapia Renal do Hospital Unimed São Domingos (HUSD), da Unimed Catanduva, realizou mais de oito mil atendimentos de pacientes renais crônicos. O serviço está sob a responsabilidade do nefrologista Luís Lázaro Ayusso e a enfermeira Carina Michele Ozana.

Destacam-se na unidade os serviços de hemodiálise (procedimento que funciona como um rim artificial, cumprindo a filtragem de substâncias indesejáveis no sangue por meio de uma máquina) e de diálise peritoneal automatizada (uso domiciliar noturno para renais crônicos).

Além da estrutura física, a unidade conta com o apoio de uma equipe multidisciplinar (psicólogo, nutricionista, enfermeiro) e presta assistência ao corpo clínico hospitalar, inclusive com a avaliação de um nefrologista em casos de pacientes internados em Enfermarias, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e na Unidade Respiratória.

A funcionária pública Pamela Karina de Paulo, 34 anos, que tem lúpus, descobriu que teve a saúde dos rins afetada durante uma gravidez, ao interromper o tratamento da doença em 2012. Pamela realiza a hemodiálise no hospital três vezes por semana e destaca que o acolhimento recebido faz toda a diferença no tratamento.

“É importante que o tratamento ocorra em um ambiente agradável e que o paciente se sinta bem. O acolhimento que tive foi muito importante, pois a gente fica sem chão quando descobre. Os médicos e as enfermeiras nos ajudam a superar, e o apoio deles é fundamental. A rotina que era para ser dolorosa e sofrida acaba gerando confiança e a gente se sente amado por eles”, disse.

A nutricionista Kellen Cristine Visquetti Ferreira, 41 anos, perdeu os rins após um acidente de moto, realizou o tratamento de diálise por 18 meses no HUSD e passou por dois transplantes. Hoje, seu maior propósito é ajudar com sua experiência outros pacientes renais crônicos. “Quero ajudar de alguma forma quem quiser tirar dúvidas. Em 2001 fiz meu primeiro transplante, recebido pelo meu padrasto, com quem tenho uma relação de pai e filha. Segui com o órgão transplantado até 2014”, relembra.

De 2014 a 2016, a nutricionista realizou o tratamento de diálise no HUSD ao mesmo tempo em que foi voluntária em um projeto em hospital especializado em transplante, onde realizou o tratamento de dessensibilização com imunoglobulina. Em outubro de 2016, conseguiu seu segundo transplante, com um doador 100% compatível.

“O Dr. Luís Ayusso foi meu anjo e me permitiu ter qualidade de vida. Depois, conheci o meu segundo anjo, a enfermeira Carina. Graças a Deus e a eles, recebi todo o carinho e cuidado necessários. Sem eles não teria conseguido. Tive um excelente atendimento. Só tenho a agradecer.”

Dicas para manter a saúde dos rins

1- Tenha um controle rigoroso da pressão arterial

2- Controle rigorosamente os níveis da diabetes

3- Não fume

4- Beba bastante água

5- Procure manter um peso saudável

6- Opte por dieta saudável: hipogordurosa (alimentos desnatados e com menos gordura) e normocalórica (nutrientes na medida certa)

7- Pratique atividade física pelo menos três vezes por semana

8- Evite o uso frequente de anti-inflamatórios

9- Procure um nefrologista em caso de histórico familiar de doença renal

10- Por fim, cuide dos seus rins como se fosse cuidar do seu coração

Compartilhar Notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Notícias relevantes