Novo Centro Cultural em Arles na França

Um tão esperado centro cultural promete cimentar o lugar da cidade no circuito global de arte – mas há muito mais para ver nesta antiga cidade francesa.

A cidade provençal de Arles, na França, não é nova no cenário artístico. Van Gogh criou algumas de suas obras mais famosas aqui, enquanto o rencontres d’Arles, o festival anual de fotografia, atrai visitantes às ruas de paralelepípedos da cidade desde 1970. Agora, com a inauguração do Parc des Ateliers em Luma neste verão em Arles, pode-se visitar um complexo extenso no terreno de um antigo pátio ferroviário. Arles agora poderia se juntar a Bilbao e Dundee entre as fileiras de cidades outrora obscuras transformadas em locais de peregrinação para os amantes da arte. Encomendado em 2008 pela Fundação Luma da filantropa Maja Hoffmann, o centro inclui uma torre com painéis de alumínio do arquiteto Frank Gehry que abrigará obras de nomes como Annie Leibovitz e Pipilotti Rist. E não é o único destaque de Arles; aqui está o que mais para ver.

Fundação Vincent van Gogh Arles
Embora o museu não tenha uma coleção permanente – ele gira em peças do Museu Van Gogh de Amsterdã – vale a pena visitar as exposições que justapõem as telas do mestre holandês com trabalhos de grandes nomes modernos como David Hockney e a pintora Laura Owens.

Bar Le Tambourin
Para um café com leite matinal – ou um pastis à tarde, se for mais sua preferência – dirija-se a esta instituição arlesiana administrada por ex-toureiros. (Arles importou o esporte espanhol no século 18.) Fotografias antigas de matadores famosos da cidade estão penduradas em todos os lugares – até no banheiro.

Arènes d’Arles
Multidões vêm para ver as touradas de estilo provençal, conhecidas como course camarguaise, neste anfiteatro romano do século I durante a Feria d’Arles, que começa a cada primavera; o local bem preservado também hospeda apresentações teatrais e concertos de jazz-pop. Siga para suas antigas passagens e cavernas subterrâneas quando o mistral inevitavelmente passar.

Le Gibolin
A decoração deste bistrô simples com guardanapos de papel pode ser simples, mas a comida é tudo menos isso. Peça o tête de cochon frito e o tártaro de carne, acompanhados por um vinho Régnié de Guy Breton. Antes de abrir o Le Gibolin, os experientes proprietários Brigitte Cazalas e Luc Desrousseaux passaram 30 anos administrando uma caverna à manjedoura em Paris. Menu fixo a partir de $ 42 por pessoa

Moustique
Arte e touradas não são os únicos símbolos duradouros da cidade; os mosquitos, comuns na região, também fazem parte de sua tradição. Esta loja conceito abraça a agitação com a venda de artigos para a casa gravados com o inseto, além de acessórios e moda com um toque provençal elegante. Pegue uma pilha de louças de cerâmica com ilustrações pintadas à mão pela artista Roxane Lagache.

Mercado de Arles
Arroz premiado dos pântanos de Camargue, frutos do mar recém pescados, pacotes perfumados de estragão: você encontrará de tudo neste mercado regional animado, que se estende por mais de um quilômetro e meio no centro da cidade. Para fugir das multidões, vá até o carrinho de café às 8h para um expresso com os moradores locais.

Compartilhar Notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Notícias relevantes