Novas tecnologias e fontes mais sustentáveis no cultivo da cana-de-açúcar são temas de pesquisa da Agronomia/Unifipa

Com o objetivo de comparar o efeito das fontes potássicas na cultura da cana-de-açúcar, salientando novas tecnologias e empregos de fontes mais sustentáveis na agricultura, os alunos grupo de pesquisa em fertilidade de solo e plantas do curso de Engenharia Agronômica/Unifipa foram a campo para coleta de ensaio do projeto de pesquisa ‘Aplicação de remineralizadores de solo na cultura da cana-de-açúcar’.

Segundo aponta o coordenador do curso, Prof. Dr. João Paulo Ferreira, os custos altos e deficiência do manejo atual podem afetar a produção. “Além do fator preço, os fertilizantes e a matéria prima, que é a fonte potássica KCL (cloreto de potássio), ocasionam o efeito salino ao longo do tempo, o que dificulta crescimento radicular adequado quando em altas concentrações de aplicação no solo”, disse ele.

Para o professor, a pesquisa pretende mostrar alternativas mais sustentáveis de cultivo. “A aplicação de fontes alternativas, uma destas, os remineralizadores de solo, são fontes de rochas que contém alguns elementos encontrados naturalmente em sua composição e que possuem motivação mais sustentável no solo, promovendo solo mais resiliente e com maior diversidade microbiológica”.

Por fim, explica que foram testados doses de KCL e doses de remineralizador de solo para comparar a produtividade e os efeitos da fertilidade química no solo após a colheita. “Os alunos coletaram os dados de produção e produtividade das parcelas experimentais e realizarão os testes estatísticos para a comparação das médias de produtividade, bem como as doses adequadas”.

O projeto de pesquisa tem participação da Mineração Curimbaba Ltda., detentora da marca Yoorin Fertilizantes.

Fotos/Divulgação Unifipa

Compartilhar Notícia

Notícias relevantes