Necessidade de poupança do brasileiro abre oportunidades para empreender

De acordo com o último “Mapa da Inadimplência do Brasil”, divulgado pelo Serasa, o número de inadimplentes aumentou 1,92%. Ainda segundo o levantamento, há uma tendência de alta desde 2020, quando a quantidade de pessoas com contas em atraso era de 61,56 milhões. Hoje são mais de 63 milhões.

Para Caio Katayama, especialista em finanças e fundador da Ótris Soluções Financeiras, o dado é preocupante e mostra a necessidade de poupança do brasileiro.

“Ainda que a maior causa do problema seja o desemprego, deixamos a cultura de guardar e investir de lado durante muito tempo. Ter este “colchão” é algo fundamental para quem quer construir patrimônio ao longo do tempo”, explica.

A pesquisa do Serasa ainda mostra que os principais “vilões” das dívidas são cartão de crédito (28,70%), contas básicas (23,30) e varejo (12,80).

“Com exceção de despesas com água e luz, que são básicas, as demais podem e devem ser controladas. O ideal é que a pessoa com algum tipo de débito reserve uma parte da sua renda para o pagamento, mesmo que seja parcelado”.

Cenário abre oportunidades para negócios

Com o aumento da inadimplência, reforma da previdência e turbulências no cenário político, um dos setores que têm se saído muito bem é o financeiro. Serviços como o de recuperação de crédito para empresas tendem a se sair melhor ainda neste cenário, além de ser super lucrativo para quem empreende nesta área, ainda é muito pouco explorado.

A Ótris Soluções Financeiras, por exemplo, que oferece a possibilidade de empreender por meio de franquias, tem registrado crescimento mesmo com a Pandemia. Hoje, a rede conta com mais de 50 unidades espalhadas pelo país, 10% delas são escritórios que atendem, em média, uma demanda de mais de R$ 5 milhões por mês.

“Há um mercado enorme a ser explorado. As pessoas, em sua grande maioria, não querem ter nenhum tipo de dívida e as empresas precisam receber suas vendas. Na Ótris, além do mais, procuramos realizar este serviço de uma forma humanizada. Nem sempre um endividado foi irresponsável para estar naquela situação. O que oferecemos são caminhos para que ele possa ter o seu nome limpo novamente”, explica Caio.

Ele também explica, com base na Lei do Superendividamento, que a Ótris está apta a fazer conciliações que beneficiem ambas as partes. Para investir no modelo de microfranquia, com escritório para atendimento ao público, o valor recomendado pela franqueadora parte de R$ 65 mil.

Compartilhar Notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Notícias relevantes