Morre, o maestro Claudinei Oliveira (56 anos)

O diretor e maestro Claudinei Alves de Oliveira que em um de seus trabalhos regeu o coral da Cerradinho Açúcar, Etanol e Energia S/A, faleceu na manhã de 22 de março ultimo devido a uma infecção generalizada em decorrência da síndrome de Fournier, uma doença rara causada pela proliferação de bactérias na região genital.

Segundo o filho dele, Victor Salvador Alves de Oliveira, ele foi internado no Hospital Samaritano de Bebedouro (SP) na noite de sábado (19) e descobriu a síndrome no domingo (20). Na terça-feira (22), teve a morte confirmada às 7h30. O corpo foi velado em Bebedouro. O enterro acontece no Cemitério Municipal de Viradouro (SP), cidade natal dele.

Em Catanduva, um dos destaques de seu trabalho foi a apresentação em parceria com o SESC Catanduva, da Ópera La Traviata, do compositor italiano Giuseppe Verdi. Na ocasião a ópera ainda contou com a participação de três corais: Coral Fabiano Lozano, de São Joaquim da Barra, SP, Coral Art Musik de Bebedouro, SP e Coral Doce Energia, com integrantes de várias cidades da região de Catanduva, que também participam do Projeto Criança Doce Energia.
Aquela, foi a primeira vez que a La Traviata foi encenada em Catanduva. “Foi uma oportunidade única de conferir um espetáculo digno de grandes capitais”, explicou à época o diretor e maestro Claudinei Alves de Oliveira.

De acordo com amigos, ele ‘Acreditava na música como arte e agente transformador da sociedade”.

Trajetória

Conhecido por reger grupos de canto em Bebedouro, além de ser professor, o músico foi responsável pela formação de diversos coralistas. Na década de 1990, foi convidado para ser solista da Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto, onde atuou em diferentes concertos.

Em nota publicada nas redes sociais, a orquestra lamentou a morte. “Desejamos nossos mais profundos sentimentos à família e amigos e que seu legado musical seja sempre lembrado.”

Claudinei Oliveira, de 56 anos, nasceu em Viradouro e tinha dois filhos, Victor Salvador Alves de Oliveira, de 29 anos, e Matheus Salvador Alves de Oliveira, de 13 anos.

Segundo Victor, o maestro ingressou na música jovem. Aos 15 anos, começou a reger o coral da igreja da cidade. Quando adulto, graduou-se em música pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e iniciou sua carreia dentro do cenário cultural.

Professor de música há mais de 30 anos, o maestro atualmente trabalhava no coral vinculado a Escola Técnica de Arte Municipal (Etam) Fabiano Lozano de São Joaquim da Barra (SP). Ele também tinha um coral particular em Bebedouro, chamado Art Musik.

Ambos os filhos seguiram o legado musical do pai. Victor fez música na Universidade de Ribeirão Preto (Unaerp), enquanto o mais novo tem como hobby a bateria.

Claudinei Oliveira cantando em casamento na Igreja Matriz de São Domingos em Catanduva.
Capela do Colégio Nossa Senhora do Calvário, Catanduva SP.

Compartilhar Notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Notícias relevantes