Mensagens criativas

 

Em meio a tanto lixo e infindáveis  bobagens que circulam na internet e nas redes sociais, algumas mensagens merecem destaque pela criatividade e sabedoria que transmitem. Pinçamos quatro mensagens nesse universo para reflexão do leitor:

CARTAZ EM UMA IGREJA NA FRANÇA: “Ao entrar nesta igreja é possível que escute o chamado de Deus. No entanto, é improvável que Ele ligue para o seu celular, por isso, pedimos que o desligue. Se quiser falar com Deus, entre, escolha um lugar quieto e fale com Ele. Mas,  se quiser Vê-lo, mande-lhe uma mensagem de texto enquanto estiver dirigindo”. Genial né?

GANDHI E O PROFESSOR ARROGANTE: Enquanto estudava  Direito no Colégio Universitário da London University de Londres, um professor de sobrenome Peters tinha-lhe aversão, mas o estudante Gandhi nunca baixou a cabeça e os seus encontros eram frequentes. Um dia Professor Peters estava a almoçar na sala de jantar da Universidade e o aluno vem com a bandeja e senta-se ao lado do professor. Professor, altivo, diz: – “Sr. Gandhi você não entende … Um porco e um pássaro, não se sentam juntos para comer.” Ao que Gandhi respondeu: – “Fique o professor tranquilo … Eu vou voando”, e mudou-se para outra mesa. Mr. Peters ficou cheio de raiva e decidiu vingar-se no teste seguinte, mas o aluno respondeu de forma brilhante a cada pergunta. Então o professor fez mais uma pergunta: – “Mr. Gandhi, você está andando na rua e encontra um saco, dentro dele está a sabedoria e uma grande quantidade de dinheiro, qual dos dois tira?” Gandhi responde sem hesitar: – “É claro professor que tiro o dinheiro!” O professor Peters sorrindo diz: – “Eu, ao contrário, tinha agarrado a sabedoria, você não acha?” –  “Cada um tira o que não tem.” responde Gandhi. O professor Peters, fica histérico e escreve no papel da pergunta: Idiota! E o jovem Gandhi recebe a folha e lê atentamente. Depois de alguns minutos dirige-se ao professor e diz: – “Mr. Peters, reparo que assinou a minha folha, mas não colocou a nota?”  Diferente do ditado –  as perguntas idiotas não mereceram respostas imbecis, mas sim inteligentes e até irônicas.

DIÁLOGO DE EINSTEIN E UM PROFESSOR: “Alemanha – Início do século 20 – Durante uma conferência com vários universitários, um professor da Universidade de Berlim desafiou seus alunos com esta pergunta: – Deus criou tudo o que existe?  Um aluno respondeu com grande certeza:  – Sim, Ele criou! – Deus criou tudo?  Perguntou novamente o professor. – Sim senhor, respondeu o jovem. O professor indagou: – Se Deus criou tudo, então Deus fez o mal? Pois o mal existe, e partindo do preceito de que nossas obras são um reflexo de nós mesmos, então Deus é mau? O jovem ficou calado diante de tal resposta e o professor, feliz, se regozijava de ter provado mais uma vez que a fé era uma perda de tempo. Outro estudante levantou a mão e disse: – Posso fazer uma pergunta, professor? – Lógico, foi a resposta do professor. O jovem ficou de pé e perguntou: – Professor, o frio existe? – Que pergunta é essa? Lógico que existe, ou por acaso você nunca sentiu frio? Com uma certa imponência rapaz respondeu: – De fato, senhor, o frio não existe. Segundo as leis da Física, o que consideramos frio, na realidade é a ausência de calor. Todo corpo ou objeto é suscetível de estudo quando possui ou transmite energia, o calor é o que faz com que este corpo tenha ou transmita energia. O zero absoluto é a ausência total e absoluta de calor, todos os corpos ficam inertes, incapazes de reagir, mas o frio não existe. Nós criamos essa definição para descrever como nos sentimos se não temos calor. – E, existe a escuridão? Continuou o estudante. O professor respondeu temendo a continuação do estudante: Existe! O estudante respondeu: Novamente comete um erro, senhor, a escuridão também não existe. A escuridão na realidade é a ausência de luz. A luz pode-se estudar, a escuridão não! Até existe o prisma de Nichols para decompor a luz branca nas várias cores de que está composta, com suas diferentes longitudes de ondas. A escuridão não! Continuou: – Um simples raio de luz atravessa as trevas e ilumina a superfície onde termina o raio de luz. Como pode saber quão escuro está um espaço determinado? Com base na quantidade de luz presente nesse espaço, não é assim?! Escuridão é uma definição que o homem desenvolveu para descrever o que acontece quando não há luz presente. Finalmente, o jovem perguntou ao professor: – Senhor, o mal existe? Certo de que para esta questão o aluno não teria explicação, professor respondeu: – Claro que sim! Lógico que existe. Como disse desde o começo, vemos estupros, crimes e violência no mundo todo, essas coisas são do mal! Com um sorriso no rosto o estudante respondeu: – O mal não existe, senhor, pelo menos não existe por si mesmo. O mal é simplesmente a ausência do bem, é o mesmo dos casos anteriores, o mal é uma definição que o homem criou para descrever a ausência de Deus. Deus não criou o mal. Não é como a fé ou como o amor, que existem como existem o calor e a luz. O mal é o resultado da humanidade não ter Deus presente em seus corações. É como acontece com o frio quando não há calor, ou a escuridão quando não há luz. Por volta dos anos 1900, este jovem foi aplaudido de pé, e o professor apenas balançou a cabeça permanecendo calado… Imediatamente o diretor dirigiu-se àquele jovem e perguntou qual era seu nome? E ele respondeu: ALBERT EINSTEIN, senhor!” Gênios já nascem prontos, não é mesmo?   E para encerrar:

MENSAGEM DE CONFORTO: “Eu ouvi muitas pessoas que perderam ente querido dizer que de alguma forma é como aprender a viver com uma amputação. Você sara, mas nunca mais é o mesmo. Mas também ouvi dizer que,  aqueles que passam por isso e confiam no Senhor, acham um conforto e criam uma intimidade com Deus que a maioria das pessoas nunca experimenta. Deus não promete uma explicação, mas promete andar conosco na dor.” (palavras confortantes ditas por pastor ao Adam, personagem principal do filme “Corajosos” que,  no filme acabara de perder a filha Victória de apenas sete anos).

 

www.buchadvocacia.com.br

[email protected]