Linguagem e persuasão são temas de palestra entre quadrinista e juiz criminal

O premiado quadrinista Walmir Orlandeli e o juiz titular da 1ª Vara Criminal e diretor do Fórum de Catanduva, Dr. Antonio Carlos Pinheiro de Freitas, convidados pelo curso de Direito da Unifipa, ministraram a palestra “O coração que age vira coragem. Uma questão de linguagem”, na noite do dia 2 de maio, no Campus São Francisco.

Voltada para alunos daquele curso, a palestra tratou sobre linguagens e habilidades de persuasão como técnica que caminha para o mesmo lugar: de contar os fatos com bons argumentos para convencer, sejam os leitores ou os jurados. “A poesia vence o poder da palavra fria da lei”, citou Dr. Pinheiro em sua explanação.

O quadrinista apresentou suas histórias, contou a trajetória para criá-las e os pontos para prender a atenção dos leitores em três atos: apresentação do personagem e acontecimento inicial, conflito e ação crescente, desfecho e resolução. “Toda história carece de um lugar para começar e é preciso navegar nas emoções para conseguir mostrar os fatos e não apenas contá-los”, explicou Orlandeli, que exemplificou com suas publicações.

SONY DSC

Já o juiz ressaltou que dentro de um tribunal “promotor e advogado defendem a sua verdade e isso não significa que estejam mentindo, pois cada um interpreta os fatos de uma maneira e defende seus interesses baseados em sua interpretação”, citando as formas de linguagem utilizadas nos discursos: racional (dialética e analítica), retórica (apelo emocional e persuasão), falácias ou sofismas ( premissas falsas ou premissas verdadeiras sem articulação lógica do ponto de vista formal), ou seja, ao juiz cabe o conhecimento motivado pela persuasão racional; ao júri, segundo a consciência, e ao promotor e advogado o poder de sedução.

O evento foi idealizado pela advogada e Prof. Ma. Ivana Mussi Gabriel, organizado pelo Centro Acadêmico XXI de Setembro e contou com a participação do coordenador do curso de Direito, Prof. Dr. Luís Antonio Rossi, a pró-reitora Acadêmica, Profª. Silene Fontana, e o conselheiro da Fundação Padre Albino, Joaquim Carlos Martins.

Ao final da palestra, Dr. Pinheiro dedicou aos alunos o livro ‘As Misérias do Processo Penal’ deixando um exemplar na biblioteca e o quadrinista Orlandeli realizou sessão de autógrafos.

Compartilhar Notícia

Notícias relevantes