Kepler Weber reduz desperdício de aço e gera economia de R$ 2 milhões

A Kepler Weber conseguiu reduzir em 8,6% o desperdício de aço ao longo de 2020, aponta balanço divulgado pela empresa. A companhia, líder na América Latina em soluções para armazenagem de grãos e movimentação de granéis, calcula uma economia de R$ 2 milhões em apenas um ano.

“O aço é a nossa principal matéria-prima, responsável por cerca de 50% do custo final do nosso produto”, explica Fabiano Schneider, gerente industrial e de inovação da Kepler Weber. “O desafio para chegar a esse resultado foi tornar nossos processos mais eficientes dentro das duas plantas industriais da companhia”.

Segundo Schneider, a empresa mobilizou vários setores em um comitê e envolveu, principalmente, os colaboradores que atuam nas fábricas, demonstrando como o prejuízo impacta no desempenho da companhia. Por meio do chamado Círculo de Kaizen, uma técnica que estimula a melhoria contínua, funcionários puderam sugerir mudanças e a empresa identificou um dos pontos de desperdício do aço.

“Nós percebemos, a partir da sinalização dos colaboradores, que era possível melhor aproveitar cada chapa de aço se mudássemos o desenho dos cortes de um dos ítens usados na construção de silos, por exemplo. Isso permitiu ampliar a produção de peças de seis para 29 com uma única chapa”, lembra.

Com o programa, o desperdício de aço caiu de 14% em 2019 para 12,7% no ano passado. A economia financeira gerada pelo melhor uso da matéria-prima, segundo a Kepler Weber, também retorna como benefício aos colaboradores por meio do Programa de Participação nos Lucros da companhia.

Meio ambiente

Além de gerar economia para a empresa, o programa de redução de sucatas da Kepler Weber também teve impacto positivo para o meio ambiente. Os números mostram que mais de 500 toneladas de aço deixaram de ser descartadas ao longo de 2020 nas unidades de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, e de Panambi, no Rio Grande do Sul.

“Ainda que a empresa já fizesse o descarte correto, por meio da reciclagem, a economia de uma matéria-prima como o aço gera um ganho significativo em sustentabilidade”, comemora Schneider.

Os dados da empresa também mostram que o volume de aço utilizado na indústria entre 2019 e 2020 se manteve estável, em 5.200 toneladas. Apesar disso, a produtividade cresceu 12%.

Sobre a Kepler Weber

Há 95 anos no mercado, a Kepler Weber é líder na América Latina em soluções para armazenagem de grãos e movimentação de granéis. Listada na B3 (Bolsa de Valores de São Paulo) desde 1980, as unidades industriais da companhia, em Mato Grosso do Sul e no Rio Grande do Sul, somam 88 mil metros quadrados e capacidade de produzir silos para estocar 5 milhões de toneladas por ano.

A missão da empresa é estimular a cultura da armazenagem, como estratégia para o agro brasileiro, visando reduzir o déficit de estocagem no Brasil, estimado em 81 milhões de toneladas em 2020. Este déficit ameaça a segurança alimentar do país e expõe os setores produtivos a riscos financeiros. Sem ter onde guardar os grãos, os produtores têm pouca margem para negociar as safras no mercado de commodities.

A Kepler Weber também contribui para melhorar a infraestrutura e a logística do Brasil, com mais de duzentas obras em fazendas, portos e terminais de transbordo no país. Já implantou projetos em mais de 50 países e 5 continentes, e investe em tecnologia para garantir maior eficiência energética e melhor desempenho das estruturas de armazenagem.

Mais informações: kepler.com.br

Compartilhar Notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Notícias relevantes