HPA e HEC participam de capacitação em farmacovigilância da ANVISA

A equipe de gerenciamento de riscos dos hospitais Padre Albino e Emílio Carlos participou da 1ª Oficina de Trabalho e Treinamento para o uso do sistema VigiMed. Com participação de profissionais da saúde de todo o estado, o encontro foi realizado na quinta-feira (19/10) no Hospital Albert Einsten, e faz parte de um acordo de cooperação para a adoção, pelo estado de São Paulo, do sistema da Anvisa para notificação de eventos adversos relacionado ao uso de medicamentos.

A oficina teve as presenças do diretor interno da 5ª Diretoria da ANVISA, Marcelo Mário Moreira, e de Salvador López, Oficial de Farmacovigilância no Centro de Monitoramento de Uppsala (Suécia), que é o centro colaborador responsável por apoiar o Programa de Monitoramento Internacional de Medicamentos (OMS-PIDM), da Organização Mundial da Saúde.

A participação da equipe teve intuito de aprimorar os processos de farmacovigilância nos hospitais. “O evento abordou os aspectos para uma notificação de qualidade e, por conseguinte, a segurança no uso dos medicamentos e a alimentação no sistema nacional. Para isso buscamos as orientações quanto ao programa internacional de monitoramento de medicamentos e dicionário WHODrug, e saber das experiências exitosas com o uso da VigMed”, disse Adriani Moraes, gerente da Qualidade dos hospitais da FPA. Também formaram a equipe na capital as enfermeiras da Segurança do Paciente, Raquel Bueno de Campos Garcia (HEC) e Leticia Bárbara Saturnino (HPA).

VigiMed é o sistema nacional para notificação de eventos adversos a medicamentos no Brasil. Ele é mantido pelo Uppsala Monitoring Centre (UMC), um centro colaborador da Organização Mundial da Saúde (OMS) na área de monitoramento global de medicamentos. O sistema utiliza dicionários padronizados para eventos adversos (MedDra) e medicamentos (WhoDrug), o que facilita a organização e a comparação de dados.

O evento marca o início da execução do plano de trabalho do Acordo de Cooperação 01/2023, entre o Centro de Vigilância Sanitária de São Paulo (CVS/SP) e a Anvisa, para a utilização do sistema VigiMed com prazo de vigência de cinco anos.

Fotos: Divulgação

Compartilhar Notícia

Notícias relevantes