GCM inicia monitoramento por câmera do Viaduto Miguel Pachá

Mais segurança. A Guarda Civil Municipal de Catanduva (GCM) começou a monitorar por vídeo o viaduto Miguel Pachá.  A câmera que permite a fiscalização eletrônica está localizada em um ponto estratégico do pontilhão, em área pertencente a Cocam-Cia de Café Solúvel, que desenvolveu a ferramenta, incluindo a instalação e doação do monitor que fica na Central de Monitoramento da GCM.

O objetivo da ação é preservar a segurança no trânsito e inibir ocorrências, principalmente tentativa de suicídio.

Caso haja alguma situação suspeita, o GCM de prontidão na Base acionará as equipes para averiguar a ocorrência. A ação é resultado de parceria entre a Prefeitura de Catanduva, a Cocam (Cia de Café Solúvel) e a Arcos (Associação e Rede de Cooperação Social), sem custos aos cofres públicos municipais.

O Prefeito Padre Osvaldo acompanhou o início das operações na Base da GCM na tarde desta sexta-feira, dia 26. Ele enalteceu a iniciativa. “Vamos atuar na prevenção para salvar vidas. Esse projeto se concretiza em momento oportuno”, destaca o Prefeito.

Segundo o comandante da GCM Cláudio Pereira, o sistema irá dinamizar os trabalhos e atendimento às ocorrências “Esse monitoramento gentilmente doado pela Cocam vai ser muito importante. Em linhas gerais, teremos capacidade de visualizar o local e aquilo que for preocupante vamos agir rapidamente O tempo de ajuda nossa, com essa câmera vai cair muito. Toda vida importa”, diz.

Conforme informações de Júlia Lima, analista de Tecnologia da Informação da Cocam, toda ação foi planejada com muita responsabilidade para ajudar a população. “Nós contratamos um serviço terceirizado para ver qual seria o melhor ponto de instalação para colocar a câmera. A partir do momento que definimos a melhor localização, nós entramos com recursos e fizemos a aquisição da infraestrutura. Fizemos a instalação e entregamos o monitoramente a GCM”, informa Júlia.

O presidente da ARCOS (Associação e Rede de Cooperação Social), doutor Wagner Ramos Quadros aponta que o local é preocupante e deve receber atenção especial. “Essa ideia do videomonitoramento está num contexto de uma preocupação do Poder Público, dos empresários e da sociedade civil organizada, com a questão da tentativa de suicídio. Tivemos em contato com a prefeitura e também com a empresa Cocam para discutir o tema do suicídio e o projeto avançou, atendendo nossas expectativas”, considera.

O projeto entrou em execução sem custos pela Prefeitura de Catanduva.

Compartilhar Notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Notícias relevantes