Estudante de medicina da Sérvia faz intercâmbio na Unifipa/Fameca

Ana Drakul tem 24 anos, é estudante do curso de medicina na Universidade de Novi Sad, sua cidade natal na Sérvia, próxima à capital Belgrado, onde iniciará o sexto ano do curso. Ela veio para o Brasil como aluna de intercâmbio do IFMSA – International Federation of Medical Students’ Association of Brazil, na modalidade pesquisa, durante o mês de outubro. “Essa é a primeira participação da Unifipa nessa modalidade e a aluna foi recebida no Centro de Pesquisa Experimental e Clínica (CEPEC) da instituição onde participou do projeto “Uso de Garcinia brasiliensis no tratamento da endometriose”, que é parte da linha de pesquisa “Aspectos Biomoleculares na Endometriose”, explica a Profa. Dra. Giovana Gonçalves Vidotti, responsável pelo Núcleo de Internacionalização.

Ana pretende se especializar em cirurgia plástica e se diz muito entusiasmada. “Quando fui aprovada no intercâmbio escolhi o Brasil por ter um dos melhores centros de medicina e descobri que a Unifipa possui uma estrutura com projetos de pesquisas muito interessantes voltados para tratamentos e cultura de células”.

Nos hospitais próprios da Fundação Padre Albino, Ana acompanhou cirurgias ginecológicas por laparoscopia para remoção de endometriose, bem como experimentos realizados no laboratório de cultura celular do CEPEC. Ela também acompanhou cirurgias plásticas, como abdominoplastia e rinoplastia, bem como aulas de cirurgia em modelos suínos. “Em meu país, durante os anos do curso de medicina, não temos a oportunidade de realizar procedimentos técnicos de cirurgia, como ocorre aqui no Brasil. Temos acesso ao ensino prático somente na residência médica. O estágio na Unifipa/Fameca foi fantástico”, explica a aluna sérvia.

Com relação à moradia, durante o período do estágio a aluna dividiu apartamento com mais três alunas do curso de medicina da Unifipa/Fameca, encaminhada pela própria IFMSA. Teve a oportunidade de conhecer alguns lugares como São Paulo, Serra da Canastra/MG, Florianópolis/SC. Sobre conhecer a culinária brasileira, Ana diz que pastel, pão de queijo e cachaça com limão vão ficar na sua memória. Perguntada sobre o que ela leva como lembrança de sua experiência, a aluna foi pontual. “Do Brasil e de Catanduva levo esse calor humano, o ato de abraçar que aprendi a fazer com mais frequência”.

Ana Drakul fará parada no Rio de Janeiro antes de seu retorno ao país de origem, no final do mês.

Compartilhar Notícia

Notícias relevantes