Elaboração de Plano Diretor de Turismo pautará reunião do Comtur

Alavancar o potencial turístico do município está entre as metas da Prefeitura de Catanduva. O primeiro passo neste sentido será tema principal da reunião do Conselho Municipal do Turismo (Comtur) nesta quinta-feira, dia 7, no Senac. O encontro é aberto à comunidade, especialmente aos representantes do segmento.
A intenção é desenvolver, a partir de um Plano Diretor de Turismo Receptivo (PDTR), o potencial atrativo e estrutural de recepção de Catanduva, envolvendo vários negócios locais interessados em fortalecer suas atividades a partir da intensificação do fluxo de visitantes e do fluxo de turistas na cidade.

“Nosso trabalho é trazer uma nova visão sobre o segmento do turismo, enquanto um negócio de vanguarda, em expansão em todo o mundo. Segmentos com potencial em receber cada vez mais visitantes, seja no ambiente rural ou urbano, devem compartilhar informações. A organização da cidade e a especialização da sua gestão estimulam o aumento desse fluxo, ao mesmo tempo em que transformam seus possíveis impactos na comunidade em vantagem para a economia local”, afirma o presidente do Comtur, Antônio Fernando Bonvino.

Segundo ele, a elaboração do Plano Diretor é fundamental no processo, pois identificará os potenciais a serem desenvolvidos ou fortalecidos no município.

“Optamos pela parceria com o Senac, entidade que, há décadas, investe e oferece programas de ensino e treinamento de excelência em turismo, para iniciarmos um trabalho progressivo de nivelamento dos conhecimentos práticos e conceituais sobre o turismo receptivo”, reforça Bonvino.

Com base no tema, será realizado um workshop entre os participantes. A ação é realizada em parceria entre a Prefeitura e o Senac Catanduva.

Interesse turístico

A organização da cidade e da gestão local deverá possibilitar o reconhecimento do poder Público Estadual, classificando Catanduva como um Município de Interesse Turístico – MIT. “Essa classificação não só habilita o município a receber verbas adicionais específicas, mas, também, a participar de programas do Ministério do Turismo”, diz.

Na visão de Bonvino, a administração pública começa a fazer a sua parte, mas só isso não será suficiente. “A participação da sociedade civil, através das entidades constituídas e operantes no município e das empresas da iniciativa privada, é imprescindível ao processo de desenvolvimento do turismo local.”

Fonte: Assessoria/Prefeitura