Curiosidades da Copa do Mundo – Parte IV

A França seria palco da próxima Copa Mundo e seria também a sexta seleção a conquistar o titulo jogando em casa.

FRANÇA/1998 –   Na Copa do Mundo da França de 1998, foi a primeira vez que a competição contou com a participação de 32 seleções (quantidade atual). O gol do mexicano Hernández,  na partida contra a Alemanha, pelas oitavas-de-final, foi o 100º sofrido pelos alemães em Copas. A Alemanha se tornou, assim, o primeiro país a sofrer 100 gols na competição.  Três brasileiros defenderam outros países: o meia Wagner Lopes (Japão), o atacante Oliveira (Bélgica) e o lateral Clayton (Tunísia).  A França conquistou o campeonato pela primeira e única vez, vencendo o Brasil por 3 a 0,  na final até hoje nebulosa em relação à internação do  Ronaldo na véspera do jogo. A França terminou o Mundial com melhor ataque e defesa, uma marca histórica.

COREIA DO SUL-JAPÃO/2002 – Foi a primeira vez na história,  a Copa ser dividida entre dois países. O jogador turco Hakan Sukur marcou aos 11 segundos um gol contra a seleção da Coreia do Sul,  tornando-se o gol mais rápido da história da competição. A França que tinha sido campeã na Copa anterior,  protagonizou a pior campanha de um cabeça-de-chave da história das Copas: não conseguiu marcar um único ponto e foi eliminada ainda na fase de grupos. A Seleção Brasileira levou um prêmio de 12 milhões de dólares pelo título da Copa 2002. O Brasil derrotou a Alemanha na final por 2 a 0 tornando-se a primeira e, até aqui,  a única seleção ser pentacampeão mundial.

ALEMANHA/2006 – Zinedine Zidane ganhou a Bola de Ouro, prêmio dado pela imprensa credenciada ao melhor jogador da Copa. Entretanto, o francês acertou uma cabeçada com força no peito do zagueiro italiano Marco Materazzi e deu adeus à decisão do título de forma lamentável e surpreendente. Sem o seu astro em campo, a França perdeu o título nos pênaltis. No dia 3 de junho, aproximadamente uma semana antes do início do torneio, o parlamento servo-montenegrino proclamou oficialmente, após um referendo realizado em 21 de maio, a divisão do país em dois: Sérvia e Montenegro. A decisão pode ter afetado os jogadores que foram à Alemanha defender uma pátria que, oficialmente, já não existia mais. A seleção do país dividido não conseguiu nenhum ponto e terminou o Mundial na última colocação. Na partida entre Croácia e Austrália, pela primeira fase, por um erro do juiz inglês,  Graham Poll, o zagueiro croata Josip Simunic só foi expulso após levar o terceiro cartão amarelo. O juiz assumiu o erro e disse que tudo aconteceu por uma “falta de atenção”. A Fifa não aceitou a desculpa dada após a lambança, e Graham Poll não atuou mais na Copa do Mundo. O Mundial de 2006 superou o recorde de cartões vermelhos de todas as outras Copas. Foram 28 expulsões, superando a marca de 22,  na Copa de 1998. O confronto entre Portugal e Holanda foi decisivo para esse recorde. Foi a partida com mais cartões na história da Copas do Mundo: 16 amarelos (nove para Portugal e sete para a Holanda) e quatro vermelhos (dois para cada lado). Lúcio bateu o recorde de maior tempo em que um defensor ficou sem fazer faltas em uma Copa. O brasileiro ficou 386 minutos sem cometer infrações na Copa. O recorde pertencia ao zagueiro Gamarra, que em 1998 havia ficado 383 minutos sem cometer uma única infração pelo Paraguai. A Itália, ganhando nos penalts, tornou-se tetracampeã,  depois ter empatado com a França em 1 a 1, no tempo normal.

AFRICA DO SUL/2010 –  Pela primeira vez, uma Copa do Mundo foi disputada no continente africano. Depois do show de abertura, no dia 10 de junho, Zenani Mandela, bisneta de Nelson Mandela, morreu em um acidente de carro, com apenas 13 anos de idade. O veículo que levava a menina capotou em uma estrada nas imediações de Johanesburgo. Segundo as investigações, o motorista estava embriagado. A música escolhida como hino da competição foi Waka-Waka, da cantora Shakira.  A bola oficial para 2010, produzida pela Adidas, tinha 11 cores diferentes, que representavam os dialetos e etnias do país sede. O nome da bola, Jabulani, significa “trazendo alegria para todos”.  Para o dia 11 de julho, dia da final da Copa, foi produzida a bola Jo’Bulani. O nome é um trocadilho com a cidade que sediou a última partida do mundial, Joanesburgo. A Jo’Bulani era uma versão da Jabulani com detalhes dourados.  Com a vitória de 1 a 0 sobre a Holanda,  a Espanha tornou campeã pela primeira e até agora uma única vez.

BRASIL/2014 – Pela primeira vez na história das Copas, três campeões mundiais – Espanha, Itália e Inglaterra – foram eliminados na primeira fase do Mundial. Em jogo contra a Colômbia,  pelas quartas-de-final, o Brasil cometeu 31 faltas, um recorde da Seleção Brasileira em partidas de Copa do Mundo. O Brasil foi eliminado da Copa 2014 nas semifinais, pela Alemanha, depois de sofrer uma goleada de 7 a 1. Foi a maior derrota da história da Seleção Brasileira, o maior placar em uma semifinal de Copa do Mundo e o mais desastroso resultado enfrentado por um país-sede na história das Copas. Com 1 a 0 sobre a Argentina,  a Alemanha chegou ao tetra. Ao se sagrar campeã da Copa 2014, a Alemanha quebrou uma tradição: nunca antes um time europeu havia vencido um Mundial da FIFA em solo americano.

CURIOSIDADES FINAIS: Na base da Taça da Copa do Mundo de Futebol existe espaço para gravar o nome das seleções campeãs somente até o ano de 2038.  Até a Copa do Mundo de 2014, já foram disputadas 836 partidas.  Em todas as Copas do Mundo, até 2014, foram marcados 2.379 gols.  A seleção da Suíça não tomou nenhum gol na Copa do Mundo de 2006, na Alemanha.  O jogador mais velho a disputar um jogo da Copa do Mundo foi o goleiro da Colômbia Faryd Mondragón. Na Copa de 2014, ele disputou o jogo de sua seleção contra o Japão com 43 anos e 3 dias. O maior artilheiro de todos os tempos da história da Copa do Mundo é o brasileiro Ronaldo. Ele participou de 4 Copas do Mundo (de 1994 a 2006) e marcou 15 gols. Já o francês Just Fontaine é o maior artilheiro em uma única Copa. Na Copa do Mundo de 1954, realizada na França, Fontaine marcou 13 gols.  A seleção com maior número de cartões vermelhos acumulados em Copas do mundo é a Argentina. No total, são 10 cartões vermelhos. O Brasil vem em segundo lugar com 9 cartões vermelhos.  Brasil e Alemanha são os maiores finalistas de todos os tempos. Os brasileiros chegaram 7 vezes e os alemães em 8 finais de Copas do Mundo.

 (fontes: https://www.suapesquisa.com/futebol/curiosidades_Copa.htm – https://www. suapesquisa.com/futebol/curiosidades_Copa.htm –  http://www. campeoesdofutebol. com.br/Copa_mundo.html – http://Copadomundo.uol.com.br/2010/historia-das-Copas/2006-alemanha/voce-sabia/curiosidades.jhtm)

 

advogado tributário

www.buchadvocacia.com.br

[email protected]