Câmara de Catanduva aprova moção de apoio à FPA pelo corte de verbas do Estado

O vereador Gleison Begalli, presidente da Câmara Municipal de Catanduva, apresentou moção de apoio à Fundação Padre Albino, aprovada por unanimidade na reunião de 09 de fevereiro último, em razão do corte de verbas promovido pelo governador do Estado, João Doria.

Na moção o vereador considera a publicação do DOE, de 05 de janeiro último, que traz a Resolução 1, do dia 04 do mesmo mês, que dispõe sobre medidas de restrição orçamentária a serem adotadas em 2021 referentes à convênios de subvenção NÃO COVID celebrados entre a Secretaria de Estado da Saúde e às Unidades permanentes à Administração Direta, totalizando R$ 80.479.824,48/ano.

No texto da moção, Gleison Begalli diz que “os recursos serão retirados dos programas Pró-Santa Casa e Santas Casas SUStentáveis que os hospitais da Fundação Padre Albino – FPA – são beneficiados. Assim, tanto o Hospital Padre Albino e o Emílio Carlos terão um corte de R$ 2.772.397,00” E continua: “os hospitais da FPA atendem 19 municípios da região, mais de 330 mil pessoas e realizam mais de 1 milhão de procedimentos, entre consultas, internações, exames, terapias, etc, sendo que a diminuição poderá gerar a interrupção dos atendimentos”.

Gleison esclarece que “o corte causará sérios transtornos às instituições e à população eis que a rede de saúde filantrópica é responsável por mais de 50% do atendimento do SUS, ressaltando que em mais de 200 municípios do Estado esses hospitais são os únicos disponíveis para atender toda população. Os setores de oncologia, cardiologia e transplantes, que representam mais de 47 mil leitos, 7 mil leitos de UTI, mais de 50% das internações e mais de 70% dos atendimentos de alta complexidade estão indignados”.

O vereador acrescenta que “muito embora o corte não afete o combate à COVID-19, os custos dos tratamentos tiveram um aumento absurdo durante a pandemia e, com a retirada de recursos, haverá um grave prejuízo ao atendimento da população, pois, para sobreviver, as entidades cortarão profissionais da saúde”. Informa que “os hospitais da FPA internaram 799 pessoas por COVID-19 sem prejuízo de outros serviços fundamentais hospitalares. O corte atingirá diretamente esses setores, negando à população um atendimento de qualidade e tolhendo a oportunidade de recuperação da saúde e, consequentemente, à vida”, alerta Gleison.

Por isso, Gleison Begalli ressalta que “a Câmara Municipal de Catanduva proclama seu total apoio à FPA, que mantém os hospitais Padre Albino e Emílio Carlos, estendendo a reverência aos demais entes filantrópicos”, solicitando, ainda, que a medida adotada pelo governador João Doria seja revertida, a quem solicitou seja encaminhada cópia da moção.

Compartilhar Notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Notícias relevantes