Café Minuto – Tivemos 6 Constituições desde a Proclamação da República

BRASIL – Aula de História do Brasil. Vamos refrescar a memória? Eu joguei água na cabeça para lembrar. Tivemos 6 Constituições desde a Proclamação da República: 1891, 1934, 1937, 1946, 1967, 1988. Os EUA têm uma só desde sua independência, ganhamos deles. 9 moedas, das quais 5 foram idas e vindas do Cruzeiro: Réis até 1941; Cruzeiro: 1942; Cruzeiro Novo: 1967, Cruzeiro: 1970, o novo envelheceu rápido; Cruzado: 1986, também envelheceu, veio o Cruzado Novo: 1989; Cruzeiro novamente: 1990; Cruzeiro Real: 1993; Real: 1994. 6 vezes que o Congresso foi fechado: 1891, 1930, 1937 – 1946, 1966, 1968/69, 1977. 6 Golpes de Estado: 1889, golpe em D. Pedro II, Proclamação da República, 1930/34, 1937/45, 1945, 1955, 1964/85. 12 presidentes que não concluíram mandato: Deodoro, Afonso Pena, Rodrigues Alves, Washington Luís, Júlio Prestes, Getúlio, Carlos Luz, Jânio Quadros, João Goulart, Costa e Silva, Collor, Dilma. 31 presidentes não eleitos pelo voto, incluindo interinos, vice presidentes, presidentes da Câmara e do Senado. 31 Revoltas e Guerrilhas, algumas: Revolta da Armada, 1892/94; Canudos, 1893/97; Greves Operárias, 1917/19; Dezoito do Forte Copacabana, 1922; Coluna Prestes, 1923/25; Revolta Paulista, 1924; Revolução de 1930; Revolução Constitucionalista, 1932; Intentona Comunista, 1935; Regime Militar, 1964; Guerrilha do Araguaia, 1967/74. Somos um povo pacato, sossegado, da paz, sem revoltas, sem golpes, economia estabilizada, políticos honestos, onde tudo se resolve com diálogo.

FORA! – Corona! Estamos há 4 meses com uma pandemia brava. Ela se estabilizou no topo: média de 40 mil casos por dia e 1.000 mortes diárias. O corona chegou antes do Carnaval e começou a “criar” os primeiros casos. Se o carnaval fosse cancelado poderia ser menos ruim. Subestimaram o corona. O Secretário da Saúde da Bahia, na época, Fabio Villas Boas, disse “É mais fácil pegar AIDS e Sífilis no Carnaval do que coronavírus”. O prefeito de Salvador ACM Neto deu força ao corona: “O coronavírus não é motivo de preocupação para o folião… Se querem buscar um lugar seguro para passar o Carnaval… Esse lugar é a Antártica, ops… é Salvador”. Dizem que Dráuzio Varela recebeu propina do corona: “É só uma gripezinha!”. Mandeta falou bobagem (e fez também) “Só vá ao hospital se estiver morrendo, ops… Com falta de ar”. Dória, queimou a língua: “Não há razão para pânico”. Viva o Carnaval! Mais corona no Brasil vindo da Europa. Se juntaram aos que já estavam aqui, e em março partiram para o ataque, e continuam… Para dar mais força ao corona o STF decidiu que governadores e prefeitos determinassem políticas de combate ao corona, dando uma rasteira no governo. Resultado: politicagem e corrupção. Quem é o culpado, ou culpados?

SUPERMINISTRO – Tenho uma coisa em comum com o Ministro do STF, Alexandre de Morais – a careca. E paro aí! O caso das fakes contra ele. Alexandre de Morais investiga crimes contra Alexandre de Morais, para que sejam suspensas contas nas redes sociais que supostamente ofendem Alexandre de Morais. Alexandre de Morais entendeu que Alexandre de Morais merece tutela especial e urgente para restringir a livre expressão dos indivíduos que usam suas contas nas redes sociais, pois havia excessos em tais contas que ofendiam Alexandre de Morais. As investigações de Alexandre de Morais continuam e Alexandre de Morais pode tomar novas medidas em favor de Alexandre de Morais, caso Alexandre de Morais se sinta prejudicado. Alexandre de Morais entende que seja necessária uma nova medida urgente para proteger Alexandre de Morais e, então, Alexandre de Morais vai decidir nesse sentido. Esse é Alexandre de Morais que faz a denúncia, investiga e julga ao mesmo tempo. Tornou-se um Super Ministro no pouco tempo que está no Supremo. Nem o decano Celso de Mello, escolhido por Sarney nos anos 80 e que prepara o pijama para ficar em casa de vez, conseguiu essa proeza. Nenhum órgão, jornalistas, ONGs, OAB, Câmara, Senado, que defendem a liberdade de expressão se manifestaram. Devem achar “normal”. Então está tudo OK!                

MAIORIA – Essa também você não sabe, mas deve ter ideia. A maioria da população brasileira é negra e parda. São 56% do total. No entanto, a participação deles na vida nacional é pífia. Por exemplo, apenas 2.6% deles formandos em medicina; 17% são senadores; 24% deputados federais; 2,9% dos ministros de Estado, desde a redemocratização do país; 2,5% dos membros da Academia Brasileira de Letras, que equivale apenas uma cadeira das 40 existentes; 18% da magistratura, sendo 9% em tribunais superiores; 75% dos mortos em ações policiais, 62% dos presidiários; 9% dos analfabetos; 4,7% das maiores empresas. Tem alguma coisa errada aí! Vocês concordam? Fonte: IBGE, CNJ, Inep, MEC, Câmara dos Deputados, Ministério da Justiça e Segurança.

FLAGRANTE – Dra. Creontinéia, advogada, vai a um motel com seu amante. Quando passa em frente e vai virar para entrar, quem é que está saindo? Seu marido com sua secretária. Ela desce do carro e arma o barraco. Ahááááá!!! Grita ela. Maaaaldiiiiito!!! Cafajeeeeeeste!!! Cachooooooroooo!!! Bem que me avisaram!!! Te pegueiiii no flagrante seu sem vergonha. Seu safadoooo!!! Vou te processar e levar até seu último centavo. E nem adianta vir com desculpas, com mentiras não…!!! Eu trouxe uma testemunha…!! Aaaaah!!! Essas mulheres…. !!! São imbatíveis! CARRÃO – Engronélio, executivo de multi, pega seu Mercedez, superesportivo, que parado já está a 40 km//hora e vai dar um rolê na Imigrantes. Vai ultrapassando todos os carros, olha pelo retrovisor e vê um carro da Rodoviária se aproximando. Pisa fundo, e o carro na sua cola. Não acredita e para. O policial vê seus documentos, todos em ordem. Engronélio pergunta: “que carro é esse que anda igual ao meu?”. “É um Ford 98, motor Bi turbo, 480 HP, especial para perseguir “corredores” como o Senhor”. “Olha tive um dia duro, fiz turno dobrado e daqui estou indo para casa. Se me der uma desculpa que eu não tenha ouvido deixo você ir embora”. “Seu guarda, a semana passada minha mulher fugiu com um policial rodoviário. Eu pensei que fosse ele querendo devolve-la e pisei fundo”. “Boa tarde! Pode ir”.

CLAQUETE DO CAFÉ – O Último Imperador, de 1987, é um super filme pela beleza e por ter 165 minutos. Dirigido por Bernardo Bertolucci, um dos grandes do cinema italiano e mundial, poderia ser uma produção da ONU de tanto país envolvido: Itália, França, Hong Kong, China e Inglaterra. O elenco principal tem apenas um ator ocidental, o inglês Peter O’Toole. Com John Lone (o imperador Pu Yu jovem), Richard Vuu (imperador Pu Yu criança), Joan Chen, Ryuichi Sakamoto (é músico e um dos autores da trilha sonora), Vivian Wu. O título do filme entrega, é a história do último imperador chinês, coroado em 1908, com 3 anos. Vive com todo luxo e segurança, protegido do mundo exterior, sem saber a situação política do país. Quando adulto é preso pela antiga União Soviética e entregue a China, em 1949, quando o Exército Vermelho do tirano Mao Tche Tung toma o poder. Apesar do exército vermelho foram anos negros para a China sob regime comunista. Na prisão relembra sua vida de imperador, desde criança até a juventude. Em 1959 é solto e passa a viver uma vida comum trabalhando como jardineiro e depois bibliotecário. O filme tem uma fotografia magnífica do mestre Vitório Storaro, cenas belíssimas. Papou todos os prêmios: 9 Oscar, entre eles, melhor filme, diretor, roteiro, fotografia, trilha sonora. Levou também o Globo de Ouro, Bafta inglês, Cesar francês, David Donatelo italiano, Academia Japonesa de Cinema. Um filmaço em todos os sentidos. Disponível em DVD, Vivo Play e streaming. Programão!!!

AS LATINHAS – O Brasil é o terceiro maior produtor de latinhas de bebidas. Atrás da China e dos EUA. Tem lógica, a China com o maior número de vidas do planeta e os EUA, com 330 milhões de ávidos consumidores. Vamos aos nossos números. Em 2019 foram vendidas 29,6 bilhões de latinhas, quase 4 para cada habitante de nosso cansado planeta. Faturamento bruto de 14,3 bilhões de reais, maior do que de algumas capitais brasileiras. O consumo médio per capita é de 142 latinhas por ano. Existem 800 mil pessoas que ganham a vida como catadores de recicláveis, principalmente latinhas. O que faz com que o Brasil chegue a alcançar a marca de 97% de reciclagem das latas. Conhece a história da latinha? Quando começou a surgir essas latas surgiu um grande número de catadores. Pagava-se bem por ser de alumínio. Quando alguém encontrava latinhas fazia festa e contava aos colegas o local onde encontrou. E o pessoal ia pra lá na esperança de encontrar mais. Porém, chegavam lá e cadê as latinhas? Voltavam e falavam ao colega que não encontraram nada. E ele: Ué? Lá tinha!

CRÁPULA – Repugnante o estrupo da menina de 10 anos que engravidou. Desde os 6 anos que ela é estuprada pelo tio. Bem, tem pai que estupra a própria filha! A garota foi torturada por 4 anos até que engravidou. Um cara com esse distúrbio intestinal, sim, deve ter o intestino na cabeça para estuprar uma criança com ameaça, deveria apodrecer numa cela! Mas… Nossa justiça é devagar. Um condenado não pode ficar preso mais do que 30 anos. Não sei qual é a pena para crimes assim, deve ter agravante para crianças. Mas chutando… 15 anos? Qualquer que seja a penalidade, depois de cumprida um sexto da pena, com bom comportamento, tá livre para cometer o mesmo crime. Um hospital de Vitória, ela é do Espirito Santo, se negou a fazer o aborto, por falta de condições.  Ela foi para Recife e lá foi feito o aborto num hospital da cidade, referencia em abortos precoces. Expeliu o feto espontaneamente, após indução e passa bem.  Sim, houve protestos contra o aborto de religiosos radicais na porta do hospital, apesar de autorização da justiça. Será que eles queriam cuidar do bebe e da garota? Odeio radicalismos!

REFLEXÃO – No Dia dos Pais fui ao cemitério fazer uma visita ao meu pai, como faço todo ano. Sempre converso com ele, embora saiba que ele não responde, só ouve. Já acostumei, desde 1999, quando ele mudou de endereço. Depois que vou embora sempre penso nele, na minha mãe, familiares e amigos que se foram. Nessa hora acho a vida meio sem sentido. Nascemos, crescemos, vivemos com todos eles e a certa altura de nossas vidas eles começam a ir embora. Pai, mãe, tios, primos mais velhos… Até chegar a nossa vez. Nem sempre segue essa ordem. Há pessoas queridas que partem antes da hora. Filhos que vão antes dos pais, familiares, primos, amigos… Quanto mai0r a convivência, mais apegados, maior é a dor da partida. Depois se transforma em saudade, que fica até a nossa vez. Foi nesse contexto que recebi de uma amiga, que trabalhou comigo, um texto de nosso dever para quem foi. “Por mais que seja a perda. Por mais que seja humana a dor, restarão sempre vestígios de vida que a morte não apaga. O dever de quem fica é perseguir e revalidar esses vestígios, sem que seja uma consolação. Mas uma permanente ordem de esperança e continuidade da vida”. Autor desconhecido.

HISTORINHAS – Velhinhos vão dormir. Maldeneida – Astorelho, lembra que você pegava na minha mão quando deitávamos? E Astorelho segura a mão dela. – E depois se aconchegava em mim? Astorelho vira-se com cuidado e encosta nela. – Depois você mordiscava minha orelha. Astorelho levanta-se devagar. – Onde você vai Astorelho? – Buscar minha dentadura, véia chata! ## Heleninha, 9 anos admite aos pais que beijou Carlinhos. Eles ficam surpresos e perguntam como isso aconteceu. “Não foi fácil! Precisei pedir a 3 colegas que segurassem ele”.

Compartilhar Notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Notícias relevantes