Atleta nas horas vagas, enfermeiro do Hospital Unimed realiza sonho no Iron Man Brasil

O enfermeiro André Lima, 38 anos, colaborador da Unimed Catanduva, participou no último domingo, 29, pela primeira vez, da prova Iron Man Brasil, em Florianópolis, Santa Catarina. Atleta nas horas vagas, o enfermeiro enfrentou seu maior desafio após se recuperar de uma grave lesão na cervical, ocorrida há cinco anos. A lesão o deixou imobilizado por seis meses. Mesmo com tamanha gravidade, ele não desistiu dos seus sonhos.

Debaixo de chuva e sob fortes ventos constantes, Lima completou a prova em quase 12 horas. Foram exatamente 11h51m20s. Fora o fator climático, o atleta teve de driblar o desafio de estar sozinho na competição, sem contar que se recuperou de uma infecção alimentar na pré-prova. “Na preparação para a ida havia, programado do meu pai e meu cunhado irem comigo até Florianópolis. Porém, ambos tiveram dengue e não estavam recuperados. Ainda na quarta-feira (quatro dias antes da competição), tive uma infecção alimentar e só consegui viajar dois dias antes da prova”, contou.

Na competição, o dia começou com sol, o que favoreceu os atletas. Mas, na segunda saída do mar, o tempo virou. “O vento estava em direção ao oceano, dando uma sensação de ‘tapa na cara’, nos forçando para dentro do mar. A prova, no geral foi dura, com chuva do início ao fim”, detalhou André.

Embora com todos os obstáculos, o enfermeiro/atleta que já venceu a paralisia em uma cama, conseguiu mais uma vitória ao completar a prova. “Com certeza foi a maior experiência que eu já vivi no esporte. Foi muito gratificante ter passado por toda esta situação (pré-competição) e ver que, no final, tudo vale a pena. Aprendi muito durante todo o processo de competição, só tenho a agradecer”, finalizou.

Natural de São Paulo, Lima iniciou suas primeiras experiências esportivas aos 3 anos de idade (natação, futebol), em projeto social do Sesi. Aos 10 anos, conheceu a ginástica olímpica, prática que treinou até os 22 anos de idade, no nível de alto rendimento. Neste mesmo período, conheceu a Enfermagem por incentivo da mãe, que também é profissional da área.

A partir daí, Lima conciliou as duas paixões: o esporte e a Enfermagem. Continuou com os treinos em modalidades diversas: corrida de rua, Jiu-Jitsu e natação. Em 2013, teve seu primeiro contato com a prática de Trickline, modalidade do Slackline, com manobras de saltos e equilíbrios em fita. O histórico do atleta com a ginástica olímpica contribuiu ainda mais para a prática do esporte. Obteve também experiência em participações internacionais.

Em 23 de setembro de 2017, se preparando para uma seletiva para o Cirque du Soleil, sofreu um grave acidente praticando o Slackline, ocasião em que lesionou as vértebras cervicais, deixando-o acamado por seis meses.

Após reabilitação, com a recuperação da lesão, fez uma promessa de se dedicar ao Iron Man. Começou os treinos aos poucos, em 2018, com leves caminhadas. Em junho do mesmo ano, participou da primeira prova do Troféu Brasil, de iniciação no atletismo.

Créditos: Divulgação

Compartilhar Notícia

Notícias relevantes