Ancestralidades: definição de linhas e formas

As origens africanas deste artista nigeriano radicado no Brasil se manifestam na composição de boa parte de suas obras. Há nelas o amplo uso de cores e a criação de contornos que remetem a um universo visual caracterizado pelas cores quentes, pelos grafismos e por escritas e ícones ancestrais.

As suas linhas e formas realizam um sutil balanço entre elementos estéticos, caracterizados pela fusão entre uma iconografia vinculada à cultura africana, e cenas em que predomina um sutil e lírico amor à existência. O artista trabalha com geometrias ancestrais e com figuras humanas, criando expressões visuais plenamente potentes.

Suas composições, ao lidar com o equilíbrio entre as imagens reconhecíveis, que representam o real, e traços ancestrais, instauram um mistério caracterizado pelo diálogo entre aquilo que se identifica facilmente e o que leva o observador para uma atmosfera em que predomina a liberdade da imaginação.

Augustine Kawoh se apropria da vida para torná-la arte. Dá aos seus traços uma expressão que é resultado de um processo de escolhas de composição, cores e formas que gera um conhecimento do mundo pleno de sensibilidade, trazendo, assim, um olhar reflexivo sobre a ancestralidade africana por meio de sua linguagem visual.

Oscar D’Ambrosio
@oscardambrosioinsta
Pós-Doutor e Doutor em Educação, Arte e História da Cultura, Mestre em Artes Visuais, jornalista, crítico de arte e curador

Compartilhar Notícia

Notícias relevantes